Aristóteles

É acertado, pois, dizer que pela prática de atos justos se gera o homem justo, e pela prática de atos temperantes, o homem temperante; sem essa prática, ninguém teria sequer a possibilidade de tornar-se bom. Mas a maioria das pessoas não procede assim. Refugiam-se na teoria e pensam que estão sendo filósofos e se tornarão bons dessa maneira. Nisto se portam, de certo modo, como enfermos que escutassem atentamente os seus médicos, mas não fizessem nada do que estes lhes prescrevessem.

um-coadjuvante
Encontrei a paz que minh’alma procurava dentro de um abraço. Nesse abraço, não existe tristeza, egoísmo ou rancor. É um abraço de amor, sem dores, que perdoa qualquer ofensas, dá esperança de um mundo melhor. Quem dera todos pudessem sentir essa sensação inexplicável! Todos podem, porém muitos trancam o coração a sete chaves, não se permite sentir o toque do Espírito Santo e isso acarreta em sentimentos ruins, que seriam facilmente curados pelo abraço do Pai. Deus queria poder abraçar todos seu filhos, é isso que os pais fazem, não é? Com Deus não seria diferente, Ele deseja abraçar, consolar o coração aflito, curar os sentimentos feridos, reanimar os cansados de espírito. Para ser abraçado, temos que estar sensível ao Seu toque singelo, temos que está aberto, para que Deus possa entrar e habitar. O Criador de toda a Terra almeja nos dar um abraço e consolar nossa alma, por isso, alegro-me ao saber que esse Deus, tão grandioso que cuida do Universo, também é um Pai amoroso que deseja estar abraçado com o seus filhinhos.
O Abraço, João e Olívia.   (via recov3r)